Como o concurso público mudou a minha vida

Eu já passei por inúmeras dificuldades na vida. Comecei a trabalhar aos 6 anos de idade na roça dos meus pais – no sertão nordestino, aos 8 anos vendia picolé e ovos pelas ruas de Ceilândia. Aos 12 trabalhei como servente de pedreiro. Aos 14 estudava à noite e trabalhava durante o dia em um escritório como datilógrafo. Para concluir a faculdade morei 4 anos em um trailer cedido pelo GDF. A minha única esperança era o estudo. E foi o estudo que me possibilitou passar em 8 concursos públicos, fatos que mudaram a minha vida. Por isso, gostaria de usar esta oportunidade para compartilhar um pouco de minha história e motivar os milhões de candidatos em todo o país que estão em busca de uma vida melhor.

Dei baixa do Exército aos 19 anos de idade, em uma sexta-feira, e já na segunda-feira seguinte procurei emprego na iniciativa privada, atendendo ao recrutamento dos classificados de um jornal local. Fazia as entrevistas, os testes, e percebia que era bem avaliado e ia muito bem nas provas. Mas pesava em meu desfavor a pouca idade, a falta de experiência e o fato de ter sempre estudado em escola pública. Morar em Ceilândia, não possuir muitos cursos de aperfeiçoamento, ter trabalhado na construção civil e não contar com nenhuma carta de recomendação também não ajudava muito.

Foi quando apareceu o primeiro edital na praça, do Banco do Brasil. Eram muitas vagas, e o certame cobrava matérias simples, sobre as quais eu até dava aula, como Matemática e Língua Portuguesa. Eu precisaria estudar apenas Práticas Bancárias e Matemática Financeira. Economizei e paguei um cursinho rápido. Estudei de segunda-feira a segunda-feira, entre duas e seis horas por dia. Algumas noites, precisava manter os pés mergulhados numa bacia de água fria para não adormecer. Dedicava-me à preparação com afinco, fosse em sala de aula, fosse sozinho em casa ou estudando em grupo. Nos simulados de que participei, sempre ocupava os primeiros lugares.

Diante disso tudo, fui para a prova com a obrigação de passar. Estava ansioso, estressado, e, então, fui acometido pelo famigerado “branco”. Não conseguia raciocinar nem me lembrar do conteúdo. Que vexame: eu, reprovado em um concurso para o qual estava muito bem-preparado. Ao responder a prova depois, com calma, eu a gabaritei. Lição dura de um fracasso. Voltei para fila, estudei para a Caixa e para o BRB e passei nos dois.

Mais tarde, fui aprovado em outros grandes concursos, tendo alcançado inclusive um primeiro lugar. Cheguei a ganhar cinquenta salários mínimos por mês, acumulando legalmente dois cargos públicos. Exerci cargos de chefia, de assessoramento e de direção superior. Esses momentos me propiciaram grande aprendizado sobre como funcionava a máquina pública. E tudo me rendeu convites para dar aulas, escrever livros, ministrar palestras, oferecer consultorias. Os 17 anos como servidor público, os 25 como professor de escola preparatória, os 27 como educador e os 33 inserido no mundo dos concursos me garantiram o título de um dos maiores especialistas quando o assunto é concurso público ou Administração Pública.

O fato é que fez toda diferença, para mim, ter podido competir em condições de igualdade com concorrentes que tinham formação superior, estudaram em escola privada, pagaram por bons cursos preparatórios, compraram material de estudo de qualidade, tinham boa aparência e detinham experiência. Simplesmente ter tido a possibilidade de competir de forma objetiva com esse tipo de candidato permitiu-se demonstrar o meu talento, a minha disciplina e a minha vocação para o exercício de um cargo público.”

Essa, como vocês já devem ter percebido, é a história de um concurseiro chamado José Wilson Granjeiro. Ao contá-la, meu objetivo é que ela sirva de exemplo e de estímulo para todos os que estão na estrada do concurso público. Quero demonstrar que qualquer um pode um dia alcançar o sucesso, desde que reúna persistência e coragem para vencer possíveis e prováveis insucessos.

Concurso público ainda é o processo mais isonômico que conheço. Não carece de pistolão, de indicação, de carta de apresentação, de grau de parentesco, de sobrenome. Depende tão somente do esforço pessoal do candidato. É esse o melhor estímulo para quem quer ser aprovado e se tornar um servidor público como eu fui até alguns anos atrás. Com muito orgulho, faço questão de acrescentar.

É claro que, para conquistar as carreiras que eu desejava, precisei me privar do convívio da família, dos amigos, da namorada. Tive de abdicar de muitos prazeres. Temporariamente. Tudo pela estabilidade financeira. Se não fosse o instituto do concurso público, eu não teria tido a oportunidade de dar uma vida digna para a minha família e depois me tornar professor, empreendedor e palestrante.

Essa é a lição que quero deixar esta semana para todos os que me acompanham nestes artigos. Sobre o tema, me vem à memória um provérbio chinês que vale a pena anotar e deixar debaixo do travesseiro, para ser lido antes de você sair para a aula ou para fazer a prova, no grande dia:

“A persistência realiza o impossível.”

Seja persistente. Assim, você logo alcançará o tão almejado emprego público e, então, poderá desfrutar, pelo resto da vida, se assim desejar, do seu FELIZ CARGO NOVO!

Prof. Granjeiro

(41) comentários

  1. Que história linda! Era justamente o que eu precisava “ouvir” hoje para conseguir juntar os trapinhos e seguir em frente.
    Muito obrigada por compartilhar conosco!

    Responder
  2. Professor, nada vem de graça e nem por acaso, Parabéns pela linda trajetória de vida, fiquei muito feliz por ter lido esta brilhante história e espero me espelhar nela, um grande abraço, Edivaldo.

    Responder
  3. marcos roberto silvério

    ola o INSS esta preste a abrir um concurso e eu estou com a intenção de prestar esse concurso, ai gostaria de saber por onde começar a estudar saber como poddo fazer para saber o tipo de matéria que ira cair neste concurso

    obrigado.

    Responder
  4. Maria Guiomar De Melo

    Granjeiro é candidato, mas tem uma vida impecável. Aprendi a conhecer WEBER por intermédio dele, não como muitos pensam que foi na UnB.

    Contudo, na minha universidade aprendi a faz a história, mas não apenas a contar história.

    Responder
  5. Grande é minha admiração pelo prof. Granjeiro! Parabéns pelo profissional e pelo ser humano que é. Precisamos de pessoas assim!

    Responder
  6. O Prof. Granjeiro é um dos referenciais para todos que prestam concursos, pois milita pela causa e se dedica ao aperfeiçoamento de seus alunos.

    Responder
  7. DEUSINA BARROS BRITO

    Que testemunha lindo! Bom seria que todos os jovens atentasse para esse fato, e repensasse no seu futuro, tempo é ouro, e a cada minuto perdido não volta atrás. Oxalá que pelo menos parte dos nossos jovens tivesse essa mesma visão, o mundo estaria em outra situação, mas a maioria só quer sombra e agua fresca, estudar que é bom, nada. Cadê o foco dos jovens e adolescentes. O tempo passa rápido, e com ele a idade, quem com certeza suas limitações. A hora é agora, vamos em frente juventude linda do nosso Brasil! Os jogadores ganham os melhores salários, cadê o foco, determinação, interesse. Tudo isso tem um preço, mas um retorno brilhante. Muito me admirou ao ouvir essa reportagem, me emocionei muito, porque passei por momentos um tanto difícil, para chegar onde eu e meu esposo estamos hoje. Ricos? Não. Mas graças a Deus temos como sobrevivermos até final de nossa vida. Só temos a agradecer a Deus, pela determinação e disposição. Hoje podemos dizer que combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Obrigada meu Deus!

    Responder
  8. Maria Genailde Moreira Brasileiro

    Nossa! é muito lindo um exemplo de vida, serve para todos nós que desejamos almejar e realizar os nossos sonhos. Os verdadeiros heróis foram e são àqueles que souberam passar pelos espinhos para colher as rosas. Parabéns professor Wilson Granjeiro, saiba que muitas vitórias ainda virão em sua vida, pois sabe ser humilde e compartilha seus conhecimentos e experiências através das aulas gratuitas, com aqueles que não tem condições financeiras para estar em uma sala de aula de cursos preparatórios para concursos. Obrigada por me proporcionar esse canal para poder também estudar e seguir a diante …..

    Responder
  9. Fico muito feliz em conhecer uma trajetória tão linda como a sua. Parabéns e obrigada por me conceder a dádiva de aprender cada dia mais um pouco com vocês.

    Responder
  10. maria do socorro presciliano gomes

    Obrigaddddddddddddddddd

    Obrigadaaaaaaaa!!!!!!!!!!! e rogo ao pai e a nossa senhora que um dia eu possa também compartilhar da minha vitória, pois venho estudando há muito tempo e quero conseguir realizar esse tão sonhado cargo publico.
    Seja feliz na sua nova batalha, e pode contar com o meu apoio.

    Responder
  11. O SENHOR ESTA DE PARABÉNSS!! PASSAR EM CONCURSO PUBLICO NÃO E NADA FÁCIL , É MUITA LINDA A SUA HISTÓRIA MAS EU ACREDITO QUE TUDO TEM SEU TEMPO, NA HORA CERTA CREIO QUE VOU PASSAR, SEI QUE TENHO QUE ME DEDICAR , SOU ENFERMEIRA RECÉM FORMADA E NO MOMENTO ESTOU PASSANDO POR UM PROBLEMINHA…. MAS DEUS SABE DE TODAS AS COISAS. OBRIGADA PELO INCENTIVO…

    Responder
  12. Estava precisando ler uma histórias dessas mesmo… me ajudou muito e chegou na hora certa, como um sinal, uma resposta às minhas dúvidas. Obrigada professor! Tenho certeza que essa mensagem foi pra mim!
    Grande abraço!

    Responder
  13. Bonita história de superação!!!
    Quero e preciso mudar a minha história, para dá uma vida digna ao meus filhos e poder está ao lado deles.
    Obrigada pela msg!!!

    Responder
  14. Prof. Granjeiro. As suas experiências entre os 6 e 14 anos de idade fizeram toda a diferença em sua vida. Para muitos poderia ser motivo do fracasso, mas o sr. transformou-as em motivação para o sucesso !!!. Parabéns.

    Responder
  15. professor sou de Ceilândia mais a catorze anos estou morando aqui no piauí a cidade que eu moro é muito pequena por isso a nossa net é muito ruim .por isso eu lhe pergunto quais os matarias que devo adique ri se pretendo fazer o concurso da cldf. e tenho o nivel superior .desde ja obrigado pela resposta

    Responder
  16. Obrigado! Sua história me motivou a continuar lutando, eu já estava desistindo, trabalho muito, o dia todo em pé e não descanso um só minuto, só consigo estudar á noite, é difícil o sono não é boa companhia.A bacia com fria parece ser boa ideá, vou testar.

    Responder
  17. Professor Granjeiro, a vontade que tenho em estudar e vencer na vida é enorme, mas por trabalhar o dia todo, quando chego em casa, a única vontade é tomar uma banho e dormir, estava precisando ler uma história de vida como a sua para me motivar ainda mais!
    Muito obrigada!!

    Responder
  18. Eu conheço sua história. Você foi meu professor de Direito Aplicado no Centro Educacional 07 de Ceilândia e incentivava nossa turma a seguir em frente sem desanimar apesar de trabalharmos o dia todo e estudar no período noturno. Foi um tempo bem legal aprendi muito com você José Wilson. Obrigada

    Responder
  19. Obrigada Prof . pelas sabias palavras de incentivo. Vou copiar o proverbio chines e andar e dormir com ele até conseguir minha aprovação, e assim permanecer com ele o resto dos meus dias. Obirgada.

    Responder
  20. Tem hora que da vontade de jogar tudo para o alto… Mas nos deparamos como mensagens de exemplo como esta, assim nos dando força para seguir em frente com mais carga de ânimo. Obrigado SR. GRANGEIRO.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *